CREA-DF
Sexta, 23 Novembro 2018 15:50

Crea-DF participa da entrega do 17º Prêmio de Meio Ambiente

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

Com uma nova modalidade de disputa – Produção Acadêmica – e, pela primeira vez, alcançado programas e projetos implantados também no Distrito Federal e nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins, o Crea-GO realizou, na noite de 22 de novembro, a solenidade de entrega do 17º Prêmio Crea Goiás de Meio Ambiente. O evento, exclusivo para convidados, reuniu 350 pessoas no Memoratto Eventos, em Goiânia. A 17ª edição do Prêmio contou com o apoio institucional dos Creas DF, MT, MS e TO; e com o patrocínio do Confea, da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea – Mútua-GO e do Sicoob Engecred.

Desde 2001, a premiação tem o objetivo de reconhecer e incentivar projetos voltados para a visibilidade de boas práticas em prol da preservação, recuperação, defesa e conservação do meio ambiente. Neste ano, o tema escolhido para o Prêmio foi “Solo. A terra que se planta, a vida que se colhe.”, alertando para a importância da preservação de um dos recursos naturais mais complexos do planeta e indispensável para a vida humana e que, mesmo assim, vem sendo degradado em todo o mundo: o solo.

 A solenidade reuniu 350 convidados no Memoratto Eventos

No início do evento, o coordenador da Comissão de Desenvolvimento Sustentável do Crea-GO (Codesu), o Eng. Sanit. Amb. Áquila Silva Levindo se dirigiu ao público, destacando que o Prêmio representa “a valorização e a responsabilidade que o Crea-GO possui com a sociedade, com o desenvolvimento sustentável e com a preservação dos recursos naturais”. Ainda de acordo com Áquila, em 2018, a premiação “assume seu lugar de destaque no Sistema Confea/Crea e premia as melhores ações para o meio ambiente entre profissionais, sociedade civil e academia em todo o Centro-Oeste e em Tocantins”. O coordenador ainda destacou o árduo trabalho de todos os envolvidos direta ou indiretamente com a realização do 17º Prêmio Crea Goiás de Meio Ambiente ao longo dos últimos 10 meses.

Áquila Levindo destaca que, em 2018, o Prêmio se firma em lugar de destaque no Sistema Confea/Crea

Premiados – Cinco modalidades estiveram em destaque no 17º Prêmio Crea Goiás de Meio Ambiente: Imprensa, Elementos Naturais, Sociedade Sustentável, Inovação Tecnológica e Produção Acadêmica. Foram 120 trabalhos inscritos, um recorde da premiação, dos quais 15 finalistas – três em cada modalidade – foram selecionados por um júri composto por membros da Codesu e uma Comissão Julgadora de nove profissionais de diversas áreas, sendo cinco de Goiás, um do Distrito Federal, um do Mato Grosso, um do Mato Grosso do Sul e um do Tocantins. Os projetos/programas vencedores só foram revelados durante a solenidade de entrega e foram agraciados com certificados e troféu.

Na modalidade Imprensa, a matéria vencedora foi “Desafio Nascentes”, da TV Anhanguera, Grupo Jaime Câmara. O prêmio foi entregue pelo presidente do Crea-GO e anfitrião da noite, Eng. Francisco Almeida. Ao agradecer, a jornalista Mariana Martins afirmou: “Essa reportagem mostrou que pequenas nascentes são fonte de vida, por isso é tão importante preserva-las. Agradecemos muito e parabenizamos o Crea-GO por dar luz a um tema tão importante, trazendo a tona discussões essenciais neste Prêmio”.

A equipe da TV Anhanguera recebe o prêmio na modalidade Imprensa

Em Elementos Naturais, o diretor de Benefícios da Mútua Executiva, Eng. Civ. Jorge Roberto Silveira; e o diretor Geral da Mútua-GO, Eng. Civ. Roger Pacheco Piaggio Couto, entregaram o prêmio para o projeto “Conservação do consumo, conservação através do reuso e produção de água”, da CAOA Montadora de Veículos. Em sua fala, Durval Pinheiro Júnior agradeceu ao Crea-GO pelo reconhecimento e afirmou que “tão valioso quanto esse reconhecimento, é esse trabalho de motivação e fomentação à produção industrial com respeito à natureza e sustentabilidade que o Crea exerce com o Prêmio de Meio Ambiente”.

Na modalidade Elementos Naturais, a CAOA Montadora de Veículos foi a premiada

Já em Sociedade Sustentável, o projeto vitorioso foi “O Cerrado na Escola”, da Agroquima Produtos Agropecuários, cujos representantes receberam o troféu das mãos do diretor Geral do Sicoob Engecred-GO, Eng. Civ. Fabrício Modesto César. Em seu agradecimento, Rafael Barsh lembrou que “o Projeto Cerrado na Escola surgiu a partir da oportunidade de promover a educação ambiental de um nicho pouco explorado: animais do Cerrado brasileiro, o que faz com que o potencial de contribuição do projeto seja de alta relevância para a conscientização ambiental”.

O projeto “O Cerrado na Escola”, da Agroquima, foi o vencedor na modalidade Sociedade Sustentável

Em Inovação Tecnológica, o prêmio foi entregue pelos presidentes do Crea-DF, Eng. Civ. Fátima Có; e do Crea-TO, Eng. Civ. Marcelo Maia, aos representantes da Facinatus Cosméticos, pelo projeto “Esfoliante Natural com Propriedades Antioxidantes Elaborado a partir de Rejeitos da Agroindústria da Goiana”. Henner Menezes afirmou estar muito feliz em receber o Prêmio. “Para nós, é uma satisfação muito grande, sermos coroado com este Prêmio. Nosso compromisso principal sempre foi com o nosso consumidor, mas sem deixar para trás o meio ambiente e a sustentabilidade”, frisou.

Facinatus Cosméticos foi a grande vencedora na modalidade Inovação Tecnológica

Por fim, na modalidade Produção Acadêmica, novidade desta edição do Prêmio, o troféu e certificados foram entregues pelos presidentes do Crea-MT, Eng. Agr. João Pedro Valente; e do Crea-MS, Eng. Agr. Dirson Freitag. O projeto vencedor foi “Erosões em Margem de Reservatório de UHEs: Monitoramento e Educação Ambiental”, da Eletrobras-Furnas, Universidade Federal de Goiás (UFG) e Universidade de Brasília (UnB). Marta Pereira da Luz agradeceu pelo Prêmio, afirmando que o projeto “foi uma luta que se iniciou em 2012 e uma conquista, que se premia com este reconhecimento e nos faz pensar que estamos no caminho correto”. Marta ainda frisou que “a pesquisa não deve ficar dentro da universidade ou em empresas, ela deve ser colocada a público, porque é de quem é de direito: da sociedade brasileira”.

Representantes da Eletrobras-Furnas, da UFG e da UnB recebem o prêmio na modalidade Produção Acadêmica

Encerramento – O encerramento da solenidade foi marcado pelos discursos de autoridades. O secretário estadual de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), Eng. Civ. Hwaskar Fagundes, representando o governador de Goiás, José Eliton, destacou o tema desta edição, afirmando que “não poderia ser mais adequado para nós, goianos, que temos o agronegócio como força motriz de nossa economia”. O secretário ainda provocou: “se não cuidarmos do solo, como vamos plantar e, ainda, como vamos colher?”. Para Hwaskar, todos saíram vencedores, “porque nos envolvemos na luta por um planeta melhor para as próximas gerações”.

Representante do Governo do Estado, Hwaskar Fagundes afirma que “todos saíram vencedores”

Em sua oportunidade, o Eng. Civ. Joel Krüger, presidente do Confea, um dos patrocinadores da 17ª edição do Prêmio, destacou ser “um prazer imenso representar um milhão de profissionais nesta premiação”. O presidente do Federal também ressaltou a presença de presidentes de diversos Regionais, o que, de acordo com ele, “caracteriza a importância do Prêmio para a engenharia brasileira. O Conselho Federal se sente muito honrado de poder participar deste Prêmio. Se a engenharia é transformar recursos naturais em produtos que atendam e que melhorem a qualidade de vida das pessoas, nada mais inteligente do que preservar esses recursos, pois, sem eles, não teremos mais a matéria-prima para a engenharia, a agronomia e as geociências. Por isso, todos os 120 trabalhos inscritos são belíssimos exemplo de um trabalho em conjunto na área ambiental, visando à preservação, um trabalho de toda a sociedade”.

Joel Krüger afirma que o Federal se sente honrado em participar da 17ª edição do Prêmio

Presidente do Crea-GO, o Eng. Francisco Almeida finalizou o evento ressaltando a importância do patrocínio do Sicoob Engecred-GO, da Mútua-GO e do Confea: “sem sua colaboração, seria impossível promover este evento de tamanha grandiosidade”. Ainda de acordo com Almeida, “foram 17 anos de muito trabalho, resiliência, proatividade e responsabilidade. Crescemos. O Prêmio saiu de Goiás para todo o Centro-Oeste e o Tocantins. Fomos audaciosos e batemos recorde de inscrições, recebendo trabalhos inclusive de estados não previstos no regulamento, como Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Isso é um bom sinal. Nosso Prêmio está ganhando magnitude nacional. A seriedade no trato do bem público e o respeito do Crea-GO pela sociedade goiana e, agora, de todo o Centro-Oeste e parte do Norte, torna possível que pensemos em voos mais altos, pela valorização, sustentabilidade e desenvolvimento do Brasil”.

Francisco Almeida destaca o histórico de trabalho e responsabilidade do Crea em relação ao Prêmio

Última modificação em Terça, 04 Dezembro 2018 19:12

Meus itens