CREA-DF
Quinta, 13 Junho 2019 14:23

Artigo: Inovações tecnológicas no processo de desenvolvimento econômico sob a ótica da Engenharia e da Agronomia

Escrito por Diná Maria Guimarães da Silva
Avalie este item
(0 votos)

Onde a Engenharia e da Agronomia se inserem nessa perspectiva?

Que os brasileiros possuem habilidades para dribles lindos no futebol é amplamente difundido e sabido, o que não é tão divulgado é que nós somos responsáveis por grandes feitos na humanidade principalmente nas áreas de tecnologia, engenharia e saúde.

São invenções como: o avião; soro antiofídico; tecnologias aeroespaciais; drones; radares; genética; robótica; materiais biodegradáveis; alternativa ao uso de combustíveis fósseis; beneficiamento de materiais; consorciamento de espécies; tecnologias petrolíferas; de prospecção e mineração; melhoramento de solo; tectônicas de placas; prevenção de desastres; entre outras.

Nesse sentido, a Engenharia e Agronomia atuam de forma expressiva no que tange à participação quantitativa e qualitativa das inovações tecnológica no mundo inteiro; ganhando cada vez mais espaço e reconhecimento. Prêmios como o Emerging STEM Scholar Award; Green TalentsAward; :FereidoonShahidiFellowshipAward; AdvancedMaterialsCompetition (AdMaCom); Volvo Environment Prize 2016, foram conferidos à Brasileiros por seus trabalhos científicos e inovações tecnológicas.

Inovações essas,que apresentam aumento potencial nas forças de trabalho, otimização do tempo e como consequência uma melhora significativa da produtividade e economicidade.

Contexto Nacional

Hoje o país passa pelo momento de elaboração do Plano Plurianual - PPA , que apresentará as diretrizes e metas definidoras das estratégias e políticas públicas até 2023. O documento, que será submetido à aprovação em agosto do presente ano, apresenta 05 eixos principais de atuação: econômico; social; ambiental; infraestrutura e institucional, visando a elevação da renda, aumento da qualidade de vida diminuição das desigualdades regionais

A Engenharia e Agronomia assumem papel imperativo na consecução dessas metas, visto que sua atuação incide exatamente nos temas apresentados, tanto no que se refere à políticas públicas, quanto na execução, desenvolvimento e pesquisa de cada eixo temático.

Neste contexto, considera-se ainda, o alinhamento do Brasil com a Agenda 2030 que visa o cumprimento dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que são considerados integrados e indivisíveis e que, compreendem as três dimensões do desenvolvimento sustentável: econômica, social e ambiental.

Sedo que, dos 17 objetivos: 09 (nove) possuem ligação direta com as áreas da Engenharia e da Agronomia, e as outras 08 (oito) possuem relações sensíveis com essas atividades, isso porque a atuação da Engenharia e da Agronomia está presente em todas as áreas de atuação em que se considere: Recursos Naturais, Saneamento, Infraestrutura, Alimentação, Produção e Exploração de matérias primas, Planejamento Territorial e afins.

Objetivo 1. Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares

Objetivo 2. Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável

Objetivo 3. Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades

Objetivo 4. Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos

Objetivo 5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas

Objetivo 5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas

Objetivo 6. Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos

Objetivo 7. Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos

Objetivo 8. Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos

Objetivo 9. Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação

Objetivo 10. Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles

Objetivo 11. Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis

Objetivo 12. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis.

Objetivo 13. Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos

Objetivo 14. Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável

Objetivo 15. Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade

Objetivo 16. Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis

Objetivo 17. Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável

Sendo assim a Engenharia e Agronomia, representam as bases fundamentais para efetivação das metas assumidas, devendo integrar de forma ativa a tomada de decisões, e fomentar o desenvolvimento social. A visão técnica e expertise dos profissionais do sistema Confea/Crea tem a possibilidade de assumir papel chave no mercado atual promovendo o conhecimento técnico-científicos na implementação dos planos de redução das desigualdades regionais. Identificando os potenciais, desenvolvendo e implementando técnicas de melhorias nas produções tanto no sentido de aproveitamento dos recursos quanto no desenvolvimento de novas tecnologias.

Uma vez que as áreas prioritárias das premissas de desenvolvimento baseia-se na redução das desigualdades regionais, a inovação tecnológica não apenas são importantes, como se tornam o único meio de conquistar esse objetivo.

O enfoque da Engenharia e Agronomia permite a aplicação de técnicas de disponibilização de recursos naturais, acesso essencial à água e energia (inclusive promovendo o uso de energias renováveis), melhoria dos solos e sistemas produtivos da agrossilvicultura, agricultura e pecuária, agroindústrias, industrias gerais, infra-estrutura, escoamento, logística e integração nacional.

Última modificação em Segunda, 17 Junho 2019 12:42

Clique na seta ^ no canto direito para fechar !

Saiba mais
Toggle Bar