CREA-DF
A- A A+ AC
Sexta, 17 Março 2017 12:55

Após chuva 'destruidora', GDF promete drenagem em Vicente Pires para outubro

Escrito por  G1 DF
Avalie este item
(0 votos)

Em visita a Vicente Pires nesta sexta-feira (17), o governador Rodrigo Rollemberg prometeu que a contrução do sistema de drenagem e pavimentação da região está prevista para ficar pronta em outubro. A área foi atingida por uma chuva intensa que caiu no local na quinta (16) e acabou derrubando muros e arrastando móveis e veículos.

De forma emergencial, o GDF fará a limpeza de ruas, retiradas de entulhos e cobertura dos buracos deixados na pista. Os danos causados aos moradores serão analisados individualmente e, segundo Rollemberg, apenas as famílias carentes receberão recursos do governo.

"As obras estruturais, de drenagem já estão sendo feitas, mas vão ganhar um embalo apenas no período da seca, não podemos fazer esse tipo de obra no período de chuvas porque os danos poderiam ser maiores, quando acontecem chuvas como ontem", informou Rollemberg.

O presidente da associação de moradores, Gilberto Camargo, afirma que apesar do discurso do governador, as obras andam a "passo de tartaruga", tendo sido aprovadas ainda em 2014 mas sem efeitos para a população, três anos depois.

Outro problema apontado por Camargo é o fato de que os entulhos e o lixo carregado pelas chuvas vão "parar no Lago Paranoá". Sobre esse descarte no lago, onde agora o GDF está construindo a obra emergencial para captação de água, Rollemberg afirmou que o governo está fazendo o que é possível.

"Estamos construindo as lagoas de contenção para tentar deter esses dejetos, mas não podemos fazer essa drenagem antes do período da seca", declarou o governador.

 

Destruição

Um bombeiro militar que mora na região, mas preferiu não se identificar, ficou com o muro da casa derrubado pela chuva. A casa dele também teve móveis destruídos pela água, que assustou a mulher e o filho dele, de 8 anos.

"Foi uma chuva de 30 minutos e no primeiro momento eu só pensei em proteger minha mulher que estava sendo arrastada pela enxurrada na área de serviço e deixar meu filho em algum lugar seguro", disse.

O militar contou que a moto e o carro acabaram arrastados pela água. Um deles foi parar na divisa do quintal do vizinho, destruindo um cômodo externo na garagem. No condomínio,foram três muros derrubados e um portão.

Na última casa atingida, dois idosos foram socorridos pelo sobrinho que teve que retirá-los pela janela. Segundo ele, a água dentro da residência chegou a altura de 50 cm e ele ficou preocupado em deixar os avós de 79 e 80 anos, no local, então conseguiu retirá-los por uma janela. Nesta sexta quatro familiares foram até a casa para tirar a lama e entulhos acumulados para que os moradores possam retornar.

O síndico de um dos condomínios da região, João Vilela, disse que em fase de racionamento é uma "pena" ver toda a água da chuva causando destruição. "Se as galerias estivessem prontas talvez houvesse um jeito de aproveitar essa água".

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar